"COMO COLECIONAR CÉDULAS"
www.colecione.com.br
colecione@colecione.com.br
(14) 3879 6373


A Arte de Como Colecionar Cédulas
Começa Aqui !!
PRIMEIRO PASSO
 O primeiro passo para iniciar uma coleção SIMPLES, é começar adquirindo uma cédula de cada valor, neste caso estamos falando de cédulas brasileiras, da 1ª e 2ª estampas (ABN, TLR, CMB) ou seja ABN = American Bank Note Company / TLR = Thomas De La Rue Company Limited / CMB = Casa da Moeda do Brasil.

SEGUNDO PASSO
 O segundo passo será um pouco mais complicado por isto poderemos considerar uma coleção mais difícil de ser feita pois iremos tratar agora de uma coleção por Micro Chancelas (Assinaturas), esta fase será mais demorada pois existem cédulas que não são fáceis de se conseguir, pois existem assinaturas que são muito escassas ou mesmo raras e é aí que com um pouco de paciência e dedicação, a sua coleção irá adquirindo um sabor muito especial e você aos poucos acabará conseguindo fechar todas as assinaturas, completando assim uma coleção com 269 unidades ou seja iniciando com o padrão monetário Cruzeiro até o Real, que tenho absoluta certeza, além de muito valiosa, irá fazer inveja aos seus amigos e admiradores da arte de colecionar cédulas.

TERCEIRO PASSO
 Bem tendo concluído esta belíssima coleção, não estará tudo acabado. Agora você estará muito mais experiente no assunto, adquiriu um conhecimento maior do que já tinha e o melhor está ainda por vir, uma vez que você conhece muito bem a sua coleção, o seu grande desafio agora será o de conseguir as cédulas com asterisco (*) ou as chamadas cédulas de reposição. Continuando ainda a ampliação de sua coleção, você poderá optar pelas variantes tais como : MÓDULO MAIOR ; CÉDULAS APROVEITADAS ; MODÊLOS ; CÉDULAS COM DEFEITOS, ou se você preferir poderá iniciar uma coleção do padrão MIL RÉIS.
 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES
 Ao iniciar a sua coleção de cédulas não se esqueça que as mesmas devem ser tratadas como preciosas jóias pois a sua valorização atual e principalmente futura dependerá de como você irá tratá-las. Com estas informações eu aqui espero colaborar com você dando-lhe algumas dicas muito importantes: * Guarde-as de forma muito segura * Procure adquirir um ÁLBUM com folhas de plástico PVC ou CRISTAL com divisões nacional ou importado, estas folhas servirão para você guardar suas cédulas (este material é encontrado em lojas especializadas). * Evite manusear com frequência as cédulas e ao mostrá-las aos seus amigos, não deixe que eles as retirem do álbum. * Conserve seu álbum em ambiente neutro, de preferência em armários de madeira ou locais onde a temperatura não varie e se precisar de alguma informação mais profunda, procure ajuda com um comerciante de sua confiança para que você faça corretamente uma valiosa COLEÇÃO DE CÉDULAS

CONSERVAÇÃO DAS CÉDULAS
 As cédulas podem chegar as suas mãos em estado de conservação muito ruim que chamamos de (BC), no que se refere a sujeiras, manchas de gordura, tintas, etc. Normalmente, as tintas utilizadas na impressão de cédulas são de excelente qualidade e não solúveis facilmente, além do que o papel é muito mais resistente que o papel comum oque torna a cédula mais resistente. Não devemos fazer nenhuma limpeza na cédula exceto quando não há outra saída, por ela estar realmente suja. Aqui vai uma boa dica de limpeza: Devemos, com uma esponja macia e detergente neutro, LAVAR-MOS a cédula muito delicadamente. Após sairem as manchas e as sujeiras superficiais, você as coloca para secar entre as páginas de uma lista telefônica, não sem antes protegê-las com folhas de papel sulfite branco sem uso, para que não se manchem com a tinta da lista telefônica e em seguida feche a lista e coloque um peso para que sequem sem o sinal da dobra na cédula. Deixe secar por 24 horas, após isto, ficará mais apresentável para ser colocada em sua coleção. Tenha muita atenção com as cédulas soberbas e Flor-de-Estampa, pois não devem ser lavadas ou do contrário perderão esta condição de conservação ficando automaticamente rebaixada e consequentemente também diminuindo seu valor. Cuidado também para não passar as cédulas com ferro de passar roupas pois isto as deixaria com um brilho incomum e facilmente reconhecido por qualquer colecionador. Se por ventura existir uma mancha de tinta de caneta esferográfica, pode-se limpar, quase sempre, com bastante sucesso utilizando-se um pedaço de algodão embebido em álcool. Claro é que se a tinta se aprofundar no papel, não será possível desfazer esta mancha oque praticamente invalida a cédula para uma coleção (com excessão das raridades). Não é aconselhável lavar as cédulas muito antigas a exemplo das brasileiras de padrão MIL RÉIS pois suas cores se desbotariam com muita facilidade

COMO SE COMPÕE UMA CÉDULA
Agora eu gostaria de apresentar a você como se compõe verdadeiramente uma cédula autêntica: * ESTAMPA: Indica a diferença de impressão, tamanho, feitiu, desenho, coloração, ornatos, efígie, alegorias de cédulas do mesmo valor. Nas cédulas brasileiras antigas, encontramos a inscrição "Estampa", seguida de uma numeração. Nas cédulas atuais, a estampa é representada por uma letra "A" ou "B" nos cantos superior esquerdo e inferior direito seguido de uma numeração. * SÉRIE : Cada grupo de cem mil cédulas de um mesmo valor e tipo formam uma série, a qual é expressa em números. Nas cédulas atuais apenas a letra designa a estampa e os quatro primeiros números indicam o número da Série da referida cédula. * NUMERAÇÃO : Todas as cédulas são numeradas de 000.001 até 100.000 em cada série. Nas cédulas atuais os seis últimos dígitos à direita da letra indicativa da estampa, representam o número da cédula. * AUTÓGRAFO : Durante um período, no início do padrão Cruzeiro (1942 à 1953), todas as cédulas para que pudessem entrar em circulação e ter seu curso legal, deveriam receber assinaturas individuais de funcionários da "Caixa de Amortização". Apenas em 1953, as cédulas receberam outro elemento para se tornarem legais que foram as Micro-Chancelas. * MICRO-CHANCELA : É a assinatura dos encarregados pela emissão das cédulas, são impressas em tamanho reduzido na própria cédula. Atualmente podemos ver as micro-chancelas do presidente do Conselho Monetário Nacional e do Presidente do Banco Central. * EFÍGIE : É a representação da figura humana, real ou simbólica existente na cédula. * FUNDO DE SEGURANÇA : É a impressão fraca mono ou policromática, incluindo ou não algarismos inscritos simetricamente em desenhos tramados. Trata-se do desenho da nota, feito para dificultar falsificações. * VALOR : Indicado geralmente em números nos cantos das cédulas, tanto no anverso quanto no reverso, geralmente também expresso por extenso. Nas cédulas atuais, em circulação, os valores estão expressos nos cantos inferior esquerdo e superior direito, no anverso da cédula. * PAPEL : O papel utilizado no fabrico das cédulas é especial e de qualidade superior, com maior capacidade para suportar tração (ser puxada e não rasgar com facilidade) e que contém elementos de segurança contra falsificações, fibras coloridas que podemos ver se olharmos com muita atenção nas cédulas. * MARCA D'ÁGUA OU FILIGRANA : É o efeito produzido no fabrico do papel, visível contra a luz nas partes claras das cédulas, geralmente com o desenho da efígie já existente na cédula ( se você pegar uma nota e colocá-la contra a luz e observar a parte branca, pronto !!). * FIO DE SEGURANÇA : É um fio de metal ou plástico acrescentado entre as fibras do papel, geralmente em posição vertical. Atualmente os fios em nossas cédulas são magnetizados e contém uma inscrição assim : "Banco Central do Brasil". * CARIMBO : Sobre impressão utilizada após a cédula ser impressa e muda seu valor nominal ou facial a exemplo dos recentes carimbos triangulares de cruzados novos para mostrar a retirada dos 3 zeros, modificando o valor facial da cédula já impressa em estoque na Casa Da Moeda. * DIMENSÕES : As cédulas variam de tamanho, existindo cédulas pequenas de cerca de 5 cm até as de 40 cm de comprimento. Este também é um elemento da cédula que muito auxilia na sua classificação.
 

TERMOS USADOS PARA CLASSIFICAR O ESTADO DE CONSERVAÇÃO DA CÉDULA
 * BC - BEM CONSERVADA : É a cédula já circulada onde se admite dobras, sujeiras, manchas, e até riscos, mantendo-se contudo os desenhos e cores visíveis. * MBC - MUITO BEM CONSERVADA : É a cédula pouco circulada com algumas dobras ou amassadas ou levemente sujas. * S - SOBERBA : Mínima circulação, semi nova com leve dobra. * FE - FLOR DE ESTAMPA : Não circulada, nova e sem dobras.

ABREVIATURA DE ÓRGÃOS IMPRESSORES EXISTENTES
 * PBP : Perkins, Bacon & Petch / * BWC : Bradebury Wilkinson & Co. Ltd. / * GD : Georges Duval / * CPM : Cartiere P. Milani / * GDEC : Georges Duval e Emile Grosbie / * GDJH : Georges Duval e Jules Huyot / * JEZ : Jon Ensoheb & Zonen / * ABN : American Bank Note Company / * TLR : Thomas De La Rue / * WSL : Waterlow & Sons Limited / * CMB : Casa da Moeda do Brasil / * GD : Giesecke Devrient (Alemanha) / * FCO : François Charles Obeerthur (França)

COMO FOI CRIADO O PADRÃO CRUZEIRO
 Foi criado pelo Decreto-Lei nº 4.791 de 05/10/1942 por sugestão do Diretor da Caixa de Amortização o Sr. Gladstone Rodrigues Flôres e complementadopelos Decretos nº 4.842 de 17/10/1942 e nº 5.730 de 05/08/1943 e nº 6.705 de 17/07/1944, tendo por símbolo o (Cr$) , sendo dividido em 100 centávos tendo por símbolo (Cts.) e correspondendo ao antigo " MIL RÉIS " . A partir da meia noite do dia 31/10/1942, a unidade monetária brasileira "Mil Réis" deixou de existir. Quem primeiro teve a idéia de mudar o nome de nossa moeda para (Cruzeiro), foi o Sr. Américo Lobo, nos primórdios da República, sob a presidência do Dr. Washington Pereira de Souza, o governo cogitava introduzir em circulação essa nova unidade monetária em substituição ao arcaico "Mil Réis ", tendo para isso criado a Caixa de Estabilização em 1926 para converter todo o papel-moeda em circulação no país em "Cruzeiros-Ouro". O valor fixado para o cruzeiro foi o de Rs10$000 (dez mil réis). As moedas divisionárias seriam cunhadas em prata, níquel e cobre. Em virtude da vitória da Revolução de outubro de 1930, esse projeto foi cancelado pelo Governo Provisório. A introdução deste novo padrão monetário, teve como objetivo, uniformizar o meio circulante pois nessa época existiam em circulação 56 tipos diferentes de cédulas, sendo 35 do Tesouro Nacional, 14 do Banco do Brasil e 7 da Extinta Caixa de Estabilização. A circulação do Cruzeiro iniciou-se em 29 de oputubro de 1942, com as notas do antigo padrão monetário, carimbadas com a nova denominação. Com a finalidade de controlar o mercado monetário interno e preparar a futura organização do Banco Central, foi criada pelo Decreto-Lei nº 7.293 de 02/02/1945, a superintendência da Moeda e do Crédito - " SUMOC ", subordinada, diretamente ao Ministério da Fazenda

www.colecione.com.br
colecione@colecione.com.br
(14) 3879 6373